IJC DESDE : 2012

Júlia Gunesch, nascida em Pirenópolis – GO, é atriz, diretora, maquiadora, bailarina e coreógrafa de Dança de Salão e Tribal Fusion. Graduada em Artes Cênicas, Bacharelado, pela Universidade de Brasília – UnB, atua na área desde 2006, tendo realizado trabalhos para teatro, cinema, televisão e shows de dança.

Desde 2011 desenvolve um trabalho diferenciado unindo Dança de Salão e teatro de forma híbrida e performática, a fim de tornar mais orgânica e completa a união entre os dois. É possível encontrar mais informações sobre esse tema em seu trabalho final no curso de Artes Cênicas, onde desenvolveu a pesquisa “A aplicação dos princípios da Dança de Salão ao processo criativo de uma cena”.

Ainda em 2011 dirigiu o renomado espetáculo AMASSA! que funde os princípios da dança de salão, dança contemporânea, artes marciais e teatro. Em 2013 realizou a direção cênica dos espetáculos Andanças de um Malandro e Manual do bom Condutor, do grupo Atuadança, participando também como atriz e bailarina.

Hoje integra o grupo de circo, teatro e dança Trupe de Argonautas como intérprete e desenvolve uma parceria na dança de salão com Oscar Ricarte, além de compor o quadro de professores do Instituto de dança Juliana Castro.

Conheça outros professores

Saiba mais sobre os nossos talentosos professores

Trabalha com um estilo mais coreográfico em diversas músicas e estilos de gêneros diferentes encaixando uma dança pessoal e de linhas para vídeos (voltado a danças urbanas).
A admiração pela dança iniciou-se ainda quando criança. Quando via apresentações de quadrilhas em escolas e festas juninas. Teve seu primeiro contato com a dança de rua em 2008 ainda na escola, quando foi premiado com vários títulos de danças escolares. Em 2009 foi convidado para fazer parte grupo THE LINKS, sendo reconhecido por sua dança e por seu coreógrafo, Willian Andrade.
No mesmo ano teve contato com os bailarinos Rômulo Nobre, Tiago Moreira e Lucas Moreira, que os convidou para fazer parte do grupo Soul Dance, obtendo aprendizagem sobre a dança teórica e prática, também sendo reconhecido nessa trajetória.
Em 2010 conheceu o bailarino Leonardo Conrado, que lhe fez um convite para participar de suas aulas de Freestyle hip hop dance. O ano de 2010 ainda levou a conhecer um dos coreógrafos mais renomados de Brasília, Rafael Vieira Nino, tendo a oportunidade de participar da Companhia de Danças Urbanas Cia Have Dreams, onde atuou como coreógrafo e bailarino.
    Tudo começou aos 8 anos de idade, quando Samuel Ninaut ingressou na Escola de Música de Brasília e teve assim o seu primeiro contato com a música. Aos 11 anos, motivado a seguir os passos do pai, que dançava black music e tinha Michael Jackson como ídolo, Samuel Ninaut começou a ter aulas de break dance e hip hop. Aos quinze anos, foi descobrindo a sua verdadeira paixão pelo samba. Teve o seu primeiro contato com a Dança de Salão em 2012, como aluno e em seguida como monitor do Instituto de Dança Juliana Castro, onde permaneceu por pouco mais de dois anos, tendo formação em todos os ritmos da dança de salão. Em 2013, passou a fazer parte da companhia profissional de dança de salão Cia Zeijo, e com isso começou a ganhar notoriedade no cenário da dança. Atualmente, integra o quadro de professores do Instituto de Dança Juliana Castro e desenvolve um trabalho de dançarino e coreógrafo na Cia Zeijo.
      Dançarino, professor, coreógrafo de dança de salão, atuando há quinze anos em Brasília. Iniciou seu trabalho profissional em 2002 e, desde então, tem se dedicado aos estudos e imersão nas técnicas de dança e de baile do tango. Responsável por promover a tradicional milonga Entre Sueños há 9 anos na cidade de Brasília, é um dos principais professores e divulgadores do tango-dança da capital federal. Participou como professor de vários congressos em Brasília, tais como Bsb Dança e Balança Brasília, em ambos ministrando aulas de tango e bolero. Promoveu excursões durante três anos consecutivos à cidade de Montevidéu com alunos e amigos para praticar tango. No ano de 2013, a convite da embaixada Brasileira em Nairobi - Kenya (África), participou como coreógrafo e professor de danças brasileiras na “Semana da Cultura Brasileira”, produzindo um pocket show com um grupo regional de dança africana. Fez parte do quadro de profissionais da Academia Unique entre os anos de 2011 e 2015. Em 2015, mudou-se para o Rio de Janeiro, dedicando-se ao aperfeiçoamento e prática de tango e samba de gafieira. Neste período, integrou a Cia de tango Nuevos Aires, atuando como dançarino em seu último espetáculo, Piazzola. Ministrou aulas regulares, cursos e seminários e se apresentou com renomadas Damas do cenário da dança de salão carioca. Participou, como professor e palestrante convidado, do Congresso Brasileiro de Tango (CBT) e do BH Tango, nos anos de 2015 e 2016. E já é professor confirmado no CBT 2017. Está de volta à Brasília renovado e motivado a fomentar a dança de salão na capital federal.