IJC DESDE : 2005

Graduada em Educação Física e Pós-graduada em Desporto Adaptado pela Universidade de Brasília, especializada em Sapateado Americano – TAP Dance. Responsável pela comemoração do Dia Internacional do Sapateador (25 de maio) em Brasília, Juliana se firmou dentre os mais respeitados nomes da dança no DF. Já dividiu palco com outros grandes nomes da dança como Steven Harper e Jane Alexander, deu aulas em algumas academias da cidade e sua maior realização começou em 2004 com a abertura da Escola de Sapateado. A Escola evoluiu e deu lugar à Tribo das Artes que, além do sapateado, proporciona aulas e eventos de dança de diversas modalidades. Lá, Juliana continua trabalhando com o TAP Dance, mas agora procura atingir todas as idades. “Para mim a dança é mais uma forma de educação cidadã, porque estimula disciplina e perseverança em quem pratica“, diz a sapateadora. “O sapateado é arte, principalmente, dos pés, mas é também dançado com o corpo e, por que não, com o coração”, completa.

Conheça outros professores

Saiba mais sobre os nossos talentosos professores

Formado pelo Projeto Dança e Cidadania em 2005 onde aprendeu técnicas de danças urbanas e danças de salão. Ele se dedicou ao Hip Hip, Street Jazz, Jazz Funk e Stiletto. Aprimorando suas técnicas em diversos Cursos, Workshops, Espetáculos e Aulas. Atualmente é bailarino da Tribo Cia de Dança. E ministra Aulas de Stiletto e Sreet Jazz no IjC
    Gaúcha de Uruguaiana, iniciou na dança na década de 80 aos sete anos de idade em Brasí­lia, tempo em que o JAZZ representava a grande atração expressiva da década. O interesse pela arte, expressão corporal e a paixão pelos esportes foram decisivos para sua formação acadêmica, Licenciatura em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília. Hoje trabalha como personal trainer, professora de ginástica localizada e de pilates no IJC onde também é integrante do grupo de jazz Corpo em cena cia de dança, fundado pela diretora e coreógrafa Lenamaria Botelho desde 1989.
      Educadora fí­sica apaixonada por dança e pela transformação que alcança com o envolvimento no projeto DIVAS DANCE para as meninas maiores de 40 anos.